Modelos de jornais para PageMaker

Os links a seguir apontam para dois modelos (templates) do PageMaker, com tamanhos de jornais usados no Brasil. Eles também podem ser importado pelo InDesign, necessitando apenas arredondamentode algumas medidas, porque o PageMaker não tem a precisão do InDesign.

Sinta-se livre para usá-los. Afinal, copiar informação não é roubo (embora os tubarões gostem de fazer você pensar que é). Só não esqueça de citar o autor! ;)

  • Tablóide gaúcho. Eu o chamo assim porque é o formato usado por Zero Hora e pelo Jornal do Comércio de Porto Alegre, e influencia o formato de jornais da região. É uma herança dos extintos jornais Folha da Tarde e Folha da Manhã, influência dos tablóides de Buenos Aires. Neste formato, o módulo criado pelo diretor de arte de ZH, Luiz Adolfo Lino de Souza, mede 11p6 x 4cm.

    Uma coisa boa deste formato é que ele pode ser impresso numa impressora a jato de tinta em duas partes, para efeito de prova. Se a largura fosse maior que os 270mm, a direita da página sairia um pouco cortada. No PageMaker, deve ser escolhida a impressão “em partes”, “manualmente”. A impressão ocorre a partir do ponto zero da página. Se algo sair cortado, mova o ponto zero até toda a página ser impressa.

  • Novo standard. Ou novo broadsheet. Esse horrível, bizzaro, revoltante e abominável formato foi adotado por muitos veículos brasileiros para que as empresas economizem papel jornal. Ele é muito ruim porque não é proporcional: o tablóide feito a partir dele é quase um quadrado. O mais engraçado foi jornais como Folha de São Paulo anunciando a infeliz decisão como se fosse uma vantagem para o leitor. Sinto muito, brasileiros, jornais grandes estão em extinção. Leia um pouco mais sobre este formato em “Abaixo o jornal alto“.

Sobre José Antonio Rocha

Jornalista, professor de Planejamento Gráfico e Mídias Digitais da Universidade Federal de Santa Maria, campus da cidade de Frederico Westphalen, Rio Grande do Sul, Brasil.